Recebi uma promessa, e agora?

E eis que ficarás mudo, e não poderás falar até ao dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo se hão de cumprir”(Lc 1:20)

Após tantos textos falando sobre promessa, estudaremos mais um a respeito. Mas por que tantos textos falando sobre promessas, aguardando estas promessas, o que ocorre entre este período? Bem, parece que é o que Deus quer falar ao meu coração, e a de alguns de vocês. Mas vamos ao tema de hoje: recebi uma promessa de Deus, e agora?

Ao meditar sobre este tema, o Senhor me levou as escrituras sagradas, mais especificamente ao primeiro capítulo do evangelho de Lucas. Lemos aqui um pouco sobre a história de Zacarias e Isabel. Ela era estéril e ambos avançados em dias. Em outras palavras, não tinham filhos e eram impossibilitados de tê-los. Porém, ele era sacerdote, e ela, das filhas de Arão, portanto, creio poder afirmar que não somente ele, mas também ela, eram pessoas de oração. A bíblia diz também que ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do Senhor (v 6).

Porém este homem, em um momento único em sua vida, cumprindo o sacerdócio em que lhe era cabido, entrou no santuário do Senhor para queimar incenso sobre o altar diante do Santo dos Santos. Digo único porque naquela época existia em torno de 18 mil sacerdotes, ou seja, cada um tinha a oportunidade de oferecer o incenso uma ou quem sabe duas vezes em toda a sua vida no santuário. E neste momento de sorte, apareceu-lhe o anjo do Senhor, mais precisamente o anjo Gabriel para lhe trazer boas novas:

Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João” (v 13)

Então observamos aqui nestas passagens três pontos importantes. O primeiro é que estas pessoas eram de Deus. Isto quer dizer que tinham uma vida espiritual equilibrada, que eram dedicados ao Senhor, aos seus mandamentos e preceitos. Quer dizer que suas vidas eram pautadas nos valores de Deus e não nos dos homens. Portanto, ao continuar lendo, saiba que escrevo para homens e mulheres que tomam esta postura diante do Deus onipotente.

Observamos também que o texto retrata ela como estéril, ou podemos quem sabe dizer que ambos eram, não fisicamente falando, mas oportunamente. Era algo a dois, e ambos se sentiam incapazes, sem condições de fazer nada para mudar a situação, a força que tinham, o conhecimento, o status, a posição social, a linhagem que pertenciam, nada disso poderia mudar este quadro. Eles tinham consciência disso.

O terceiro ponto é que acharam graça diante de Deus, e receberam uma promessa. Teriam o desejo mais profundo de seus corações prestes a ser realizados pelo Senhor. Mas como toda promessa impossível na vida de uma pessoa é geralmente acompanhado de frustrações e desilusões, tocar neste assunto como algo possível costuma trazer ao ouvinte a reação de espanto e de dúvida ou questionamento. Foi o que aconteceu com Zacarias.

Porém o que Zacarias não havia percebido é que o seu sonho era também o sonho de Deus. O fruto do ventre de sua esposa seria nada mais, nada menos, do que aquele a quem Jesus mais tarde intitularia como o maior homem dos nascidos de mulher. Gostaria de fazer uma pausa para ressaltar algo importante na vida de um filho de Deus. É necessário separar a emoção da razão, quando esta se refere a de Deus. Ou ainda, separar a sabedoria dos homens que é loucura para Deus, ou a sabedoria de Deus que é loucura para os homens. Foi o que o anjo deixou bem claro a virgem Maria, ao falar a respeito deste caso:

Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas” (v 37)

Isto é algo que não precisamos entender, precisamos simplesmente crer! Existe um Deus que não é como os homens, que não é limitado, que é onipresente e está conosco em todas as nossas dificuldades e lutas, um Deus oniciente que sabe de todas as coisas e não precisa que ninguém diga a Ele o que é possível e o que não é, e um Deus onipotente, que pode simplesmente realizar todas as coisas. Isto quer dizer que Deus não precisa que os seus servos contratem pessoas para contracenar em igrejas fingindo receber aquilo que o Senhor faz de olhos fechados, ou será abertos? Desculpe pelo parênteses.

Sabe com que deveríamos nos espantar? Se um anjo descesse da presença santa de Deus e viesse até um servo dizer: “olha amado, infelizmente eu venho lhe trazer más notícias, Deus falou que isso que você deseja é impossível, que Ele não dá conta não, pediu para você ser mais razoável e pedir algo que com Ele ou sem Ele, acontecerá.” Isso é de se espantar, já parou para pensar nisso?

Mas esta palavra nos traz uma revelação interessante. Zacarias durante este diálogo faz a pergunta que milhões de pessoas muitas vezes, e de diferentes formas, fazem a Deus dia após dia. Mas que pergunta foi essa?

Então, perguntou Zacarias ao anjo: Como saberei isto? Pois eu sou velho, e minha mulher, avançada em dias” (v 18 )

Este sacerdote sabia que tanto para ele, quanto para ela, era impossível realizar tal feito, mas recebeu da parte de Deus estas boas-novas, e quanto isto acontece, existem duas reações possíveis.

A primeira, e a esperada por Deus, é justamente a que Maria manifestou ao receber a promessa traga pelo mesmo anjo, de que conceberia e daria a luz um filho que seria grande e chamado Filho do Altíssimo, que lhe seria dado o trono de Davi e que reinaria para sempre sobre a casa de Jacó com um reinado sem fim (v 30-33), o filho de Deus, fruto do Espírito Santo, um ente santo (v 35). A resposta de Maria foi: Aqui está a serva do Senhor; que se cumpra em mim conforme a tua palavra (v38). Esta promessa, talvez tivesse sido a mais absurda de toda a bíblia, mas ela não duvidou em seu coração, mas se colocou na posição que lhe cabia, seja ela qual for.

Mas existe a segunda, que foi a de Zacarias. O questionamento que este homem fez foi de incredulidade. E é justamente aí que descobrimos uma grande revelação de Deus. Este homem perguntou como, e Deus respondeu:

Todavia, ficarás mudo e não poderás falar até ao dia em que estas coisas venham a realizar-se;” (v 20)

Foi então o que Zacarias fez. Como era por uma grande causa, Deus se certificou de que ele cumpriria na marra aquilo que era necessário. A palavra diz que ele expressava-se por acenos e permanecia mudo (v 22b). Isto o impediu de “dar com a língua nos dentes”, e o Senhor sabe o quanto isto é importante. Em toda a bíblia vemos sobre o poder da palavra e da língua, onde Tiago exorta dizendo:

Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim” (Tg 3:9-10)

É necessário entender a importância de nossas palavras, são sementes que dela, provavelmente teremos colheitas. As coisas de Deus são santas, e devemos mantê-las santas. Não nos cabe falar àqueles que tem inveja, incredulidade, etc.

Você recebeu uma promessa? Fique calado, mudo! Não conte a ninguém, não desacredite, creia e aguarde no Senhor, pois como Gabriel disse, a seu tempo, se cumprirão (v 20). E vão se cumprir, sabe por quê? A bíblia nos deixa bem claro que Deus é absolutamente confiável. Foi o que Salomão aprendeu bem cedo, ele disse: Bendito seja o Senhor, que deu repouso ao seu povo de Israel, segundo tudo o que prometera; nem uma só palavra falhou de todas as suas promessas … (1Rs 8:56). Vemos isto em tantos outros trechos da bíblia, como nos livros dos Salmos, Ezequiel, Daniel ou também no novo testamento (cf Sl 93:5, 111:7; Ez 12:25; Dn 9:12; Mt 5:18). Jesus mesmo disse que passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar (Lc 21:33).

E isto tudo significa dizer que aquele que é confiável, cumpre o que diz, promete, prediz, inclusive seu juízo. Cumpre a sua palavra. Em outras palavras, Deus é Fiel.

Vou abrir outro parênteses para falar algo em particular a respeito disso. Como tive uma criação kardecista, detestava ouvir ou ler nos carros a frase “Deus é Fiel”. Pensava comigo mesmo, se Deus por acaso era homem para que tivesse que ser fiel em alguma coisa. Entendia que ele havia feito a natureza de maneira perfeita, divina. Logo, se as leis da natureza eram perfeitas, não havia necessidade dEle intervir em nada, muito menos ser fiel, Ele simplesmente era perfeito. Porém, hoje conheço um Deus que faz promessas a seu povo, sejam específicas ou não. E se fez e faz promessas, Ele necessita sim ser fiel para cumpri-las. Mas onde vemos na bíblia que Deus é fiel?

Todos sabemos que Moisés foi um intermediador entre Deus e o sEu povo, e admoestou ele: Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos (Dt 7:9), assim definiu o seu Deus. Podemos ver também o apóstolo Paulo dizendo que Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados para a comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor (1Co 1:9). Temos ainda a visão apaixonada do salmista Davi quando diz que a tua fidelidade chega até às mais excelsas nuvens (Sl 36:5). Vemos ainda falar de maneira clara sobre esta fidelidade em alguns outros versículos (cf Hb 6:18; Sl 89:1, 105:8; 1Pe 4:19).

É preciso ter a convicção de que Jesus é Deus, e que portanto, é Fiel. A palavra de Deus nos garante que Fiel é o que vos chama (1Ts 5:24), é o SENHOR, que vos confirmará, e guardará do maligno (2Ts 3:3). Jesus é tão lindo, que essa mesma palavra revela que mesmo se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo (2Tm 2:13). É a sua essência, é o seu carácter divino! Precisamos pois reter firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu (Hb 10:23). Lembrem-se que Ele é aquEle que o apóstolo João retrata no livro da revelação como o que estava assentado sobre ele [um cavalho branco] chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça (Ap 19:11). É fiel para ser seu advogado, seu juiz! É a fiel testemunha (Ap 1:5).

Declare a Deus nesta manhã, tarde ou noite, que Ele é o Senhor de sua vida, que tu crê que somente nEle há esperança da vida eterna, e ainda de receber cem vezes tanto o que abandonou ainda neste tempo por amor dEle (Mt 19:29). Que Jesus, que é Deus, e portanto não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria? (Nm 23:19) E é neste Jesus que eu recebo cada promessa, aguardo mudo pois estou plenamente certo de que aquele que começou a boa obra em mim há de completá-la (Fp 1:6). Recebo enquanto aguardo, a sua paz.

Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (Jo 14:27).

Ricardo de Magalhães Cruz ( 10 de Julho de 2008 )
Texto bíblico: Almeida em diferentes versões

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s