A Espera da Promessa

Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra (At 1:8).”

Foi assim que Cristo se despediu de seus discípulos, deixando uma promessa.

Hoje, dois mil anos depois, continuamos recebendo promessas da parte de Deus a respeito de ministério, vida sentimental, familiar, financeira, ou até mesmo do batismo no Espírito Santo. Assim como Cristo prometeu aos seus discípulos, assim tem feito conosco, cristãos.

Para receber esta promessa, simplesmente havia de receber o seguinte comando: aguardar em Jerusalém até que do alto fossem revestidos do poder de Deus (Lc 24:49). É o momento em que não somos nós que faremos, mas que Deus movimenta a nosso favor, na qual não atrasa nem se adianta, mas na hora certa. É então que, nós, seres humanos de carne e tentados por Satanás, começamos a viver conflitos neste período de espera.

No evangelho de João temos o seguinte versículo: E, havendo dito isso, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo (20:22). Esta passagem trata de um momento em que Cristo estava ainda com os discípulos no dia da ressurreição. Mas se a promessa era essa, porque esperar se já estava realizada? A resposta é que esta outorga do Espírito Santo não fora o batismo como ocorrera no dia de Pentecoste, mas sim a primeira vez que a presença regeneradora do Espírito Santo e a nova vida do Cristo ressurreto saturavam e permeavam os díscipulos (estudo da bíblia Pentecostal).

Ainda neste livro temos algumas indicações do que os discípulos faziam enquanto aguardavam a promessa (21:1-3). Mostra que retornaram a fazer aquilo que faziam antes de terem seu encontro com Jesus, visto que estavam pescando peixe e que, por sinal, nada pegavam.

Este momento em que aguardamos a promessa de Deus se cumprir em nossas vidas, costumamos ficar ansiosos, angustiados, chegando ao ponto de muitas vezes nos sentirmos perdidos ou abalados na fé. Muitas vezes sem saber como acontecerá, ou sem confiar que Deus é Fiel para cumprir aquilo que prometeu, somos provados e até mesmo tentamos voltar para aquilo de onde fomos arrancados. Mas pela graça de Deus, somos guardados de obter sucesso e nos apartar dos caminhos do Senhor. Por isso, muitas vezes a angústia.

Porém nem sempre é provação, grande parte das vezes estamos sendo tratados. Foi o que aconteceu com Simão Pedro. Mesmo tendo ele visto que o mestre verdadeiramente havia ressuscitado, ainda existia aquela marca em seu peito, que o assolava e o angustiava. Ele negara a Cristo e carregava essa dor em seu ser.

Creio eu que essa dor, e o reflexo de sua atitude deve ter levado a Pedro questionar se estaria mesmo preparado para ser usado na obra de Deus. Talvez por isto tenha voltado as velhas práticas, talvez neste tempo pensasse do que teria valido a pena ter largado sua profissão e ter seguido a Cristo, se ele mesmo, com sua própria boca, desperdiçara a oportunidade e então se encontrava perdido e com o coração amargurado.

Foi então que Cristo reaparece para ele (21:7-19), e ao reconhecê-lo, já mergulha nas águas para se achegar o mais rápido possível. E como Cristo é cura, ali operou a cura interior que Pedro precisava. Era necessário que isto acontecesse antes de receber a promessa.

Jesus ali deu as três oportunidades que Pedro necessitava para curar suas feridas. Assim como por três vezes o negou, por três vezes declarou seu amor por Jesus. Agora sim ele estava curado, e Cristo lhe deixou a obra, Apascenta as minhas ovelhas e ainda Segue-me.

Agora sim, Pedro estava curado, e se colocou na posição daquele que espera a promessa de Deus, uniu-se a igreja perseverando unanimemente em oração, com as mulheres, e Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele.

Provavelmente meditavam na palavra de Deus dia e noite, pois já haviam o entendimento das escrituras sagradas aberto por Cristo Jesus (Lc 24:45), se preparando enquanto aguardavam o grande dia.

E como Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa (Nm 23:19a), permitiu que finalmente chegasse o dia da promessa:

Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente veio do céu um ruído, como que de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados. E lhes apareceram umas línguas como que de fogo, que se distribuíam, e sobre cada um deles pousou uma. E todos ficaram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito lhes concedia que falassem (At 2:1-4).

Que alegria! Foram todos tomados pelo Espírito Santo de Deus. Foi ali confirmado a obra de Cristo em suas vidas testificado pela parte de Deus. Antes, homens que receberam a promessa de ser revestidos do poder de Deus e fazer a sua obra, mas temerosos e perdidos, agora, cheios do Espírito e vivendo os dons do espírito.

Deus foi Fiel, é Fiel e continuará sendo, pois a palavra diz que nEle não há mudança nem sombra alguma de variação (Tg 1:17). Por ventura tendo ele dito, não o fará? Ou havendo falado, não o cumprirá? (Nm 23:19b) Esse é o nosso Deus, que tem tantas vezes a sua palavra questionada pelos homens, que dizem que foi modificada, mas tanto não foi que Deus tem permanecido Fiel em cumprir aquilo que disse e não aquilo que não disse.

E como o batismo era de Deus, deveria realmente demonstrar os dons que provem do Espírito de Deus (cf. 1Co 12:4-10). É quando vemos na prática que o que aconteceu não foi apenas um show, ou uma maluquice como outros diziam, mas o mover real de Deus.

Primeiro, vemos a variedade de línguas, dada a cada um deles. A palavra diz que foi a todos e não a alguns (At 2:4). E juntamente com este veio a palavra de sabedoria que Pedro utiliza logo a seguir (v. 14-40) em seu discurso a aqueles que ali presenciaram o mover de Deus. Percebemos a salvação, principal fruto que o cristão deve recolher, com quase três mil almas agregadas somente naquele dia, após receberem a palavra e se batizarem.

Logo a seguir, a cura, quando Pedro acompanhado por João iam ao templo, em nome de Cristo cura o coxo que começa a andar e louvar a Deus. Inclusive quando falamos de cura, percebemos curas fantásticas realizadas através de Pedro:

… a ponto de transportarem os enfermos para as ruas, e os porem em leitos e macas, para que ao passar Pedro, ao menos sua sombra cobrisse alguns deles. Também das cidades circunvizinhas afluía muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais eram todos curados (At 5:15-16).”

Esse é o poder de Deus. Esta é a promessa de um Deus vivo. É lembrar de Pedro, que antes, na carne, negara ao Senhor três vezes, mas depois, cheio do Espírito, se levanta com mais um dom do Espírito que é a intrepidez e fala abertamente ao Sinédrio, autoridades e anciãos, sobre este mesmo Cristo (4:8-13).

Posso não saber o que Deus prometeu para você, mas te digo, se recebeste uma promessa da parte de Deus, creia, porque ele não somente é Fiel para cumprir, como maravilhoso para ao cumprir, fazer melhor e maior do que tudo aquilo que esperamos ou imaginamos.

Enquanto isso, olhe para si mesmo. O que precisa ser trabalhado em você? É a ansiedade? O perdão? A necessidade de um perdão? Entregue nas mãos do Senhor, que o mesmo Jesus ainda hoje, aparece a nós, servos de Cristo, nos trazendo alegria, cura, transformação.

E quanto a promessa… Vale a pena esperar!

Música da Cassiane para reflexão, Vale a Pena Esperar:

Estavam todos reunidos, no lugar de adoração, para se cumprir a promessa de Jesus

Ficar em Jerusalém até que desça, o Espírito Santo da promessa sobre vós

E a igreja permaneceu em oração, esperando a promessa se cumprir

E cumpriu…

O Espírito desceu e a casa então encheu, a glória de Deus invadiu o lugar

E quem acreditou ali permaneceu, em outras línguas pode falar

Deus cumpriu a promessa, vale a pena esperar

Vale a pena esperar, a promessa de Deus, vale a pena esperar, o mover do Senhor

Quando Deus te falar, então pare para ouvir, porque quando ele fala ele pode cumprir

O Espírito Santo aqui já chegou, pra cumprir a promessa e Deus já mandou

Uma núvem de glória pra anunciar, que chegou pentecostes aqui neste lugar

Espera, não vai embora, antes da tua benção chegar

É hoje, chegou a hora, o Espírito de Deus vai se manifestar

Não saia daqui sem tua benção levar

Texto Bíblico: Almeida, Revista e Corrigida; Almeida Atualizada

Ricardo de Magalhães Cruz (24 de abril de 2008)
ricardo.dmc@gmail.com

Anúncios

Um comentário sobre “A Espera da Promessa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s