Quando Deus nos prova

E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui. E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera (Ge 22:1-3)”.

E aconteceu que Abraão foi um exemplo para nós. Quando leio este texto das escrituras fico realmente encabulado. Não com a atitude visto que muitas vezes, e ainda por muitos, pode ser visto como uma dureza de coração. Mas não é isto que me encabula, visto que discordo desta outra visão. Fico impressionado com o relacionamento que Abraão tinha com Deus.

Muito ao contrário de um coração de pedra, eu creio que o chamado nosso pai, ou ainda pai da fé, tinha um coração verdadeiramente quebrantado na presença de Deus. Na verdade, creio que conhecia muito bem o primeiro mandamento, não por lê-lo, o que seria impossível, mas por relacionamento e devoção. Ainda mais que isto, adiantando a fonte ou ao quinto livro do pentateuco, onde foi escrito aquilo que Abraão já sabia diz não só no sexto capítulo, mas também mais adiante uma outra maneira dizendo que amarás, pois, ao Senhor teu Deus, e guardarás as suas ordenanças, e os seus estatutos, e os seus juízos, e os seus mandamentos, todos os dias (Dt 11:1). Aqui diz sobre ordenanças, estatutos, juízos e mandamentos. Todas elas tem algo em comum, são para se cumprir. E assim Abraão o fez.

Esse texto mexe muito comigo visto que fala a respeito daquilo que amamos e ainda mais, diz respeito as próprias promessas de Deus. O primeiro mandamento não está como primeiro atoa, mas para dizer que a primeira coisa que devemos fazer nesta nossa vida é amar a Deus acima de todas as coisas, todas. Jesus mesmo disse que este era o primeiro ao responder ao escriba: Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento (Mc 12:30; cf Dt 6:5). Disse ainda que o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes (v. 31).

Faço um parenteses neste ponto para refletirmos a respeito do que temos visto nas filosofias que surgiram após Cristo dizendo que o caminho para salvação está no segundo mandamento que Jesus especificou, fazendo questão de esquecer ou ignorar o primeiro, Deus não deve precisar. Porém lemos que o primeiro é especificado usando o termo “toda” sua alma, entendimento e forças. Disse toda, completo, acima de qualquer outra coisa. Já o segundo tem uma variável interessante: como a ti mesmo. Quer dizer que depende do quanto eu me amo, amarei o próximo, porém a Deus é de todo o meu coração, independente se me amo muito ou pouco. Isso significa amar a Deus acima de mim mesmo, acima do meu querer, pensar, achar, imaginar. Acima do amor que tenho por mim, ou até mesmo pela minha família ou filho. Este é o primeiro mandamento, e este, Abraão já conhecia muito bem.

E diferente do coração de pedra, Abraão amou ao Senhor neste dia, de todo o seu coração. O Senhor o colocou a prova. Disse a Abraão: Hei, homem de minha intimidade, homem que converso, homem que me relaciono, homem escolhido. Me dê o seu filho em holocausto. Dê-me aquele que não tinha condições de ter, mas que te prometi e te dei. Hoje, eu o quero de volta. Dê-me o motivo que te dei para me glorificar dia após dia como o Senhor teu Deus. Dê-me seu sonho, sua família, sua felicidade, sua alegria. Eu quero tudo Abraão, quero que me devolva até mesmo a promessa de um pai de muitas nações, devolva-me esta aliança que fiz contigo. Dê-me Isaque! Isto não está escrito na bíblia, estas são as perguntas que acredito terem ecoado dentro do coração de Abraão. Na verdade, creio que muitas outras vieram também.

Assim acontece conosco. Quantas vezes recebemos uma promessa e logo após entramos na prova, no vale, no deserto. Quantas vezes recebemos uma promessa, mas logo a seguir parece que vai escorrer entre nossos dedos? Isto chama-se a provação de Deus.

Gostaria de deixar claro que não é o diabo que te prova, não a um filho de Deus. Observemos a vida de Jó, foi o diabo que lhe tocou, mas foi Deus que o provou. Seus amigos apontavam como um homem cujo Deus havia levantado sua ira contra, mas não, era um homem reto e integro como nenhum outro na face da terra. Mas Deus o provou, para mostrar ao Diabo e aos filhos do cão que Jó amava a Deus acima de todas as coisas e não o negaria.

Mas o que fazer quando somos provados? O que fazer quando somos lançados em uma situação tão difícil e dependendo, tão dolorosa? Diz a palavra que então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera (v. 3). A palavra não diz o que este homem fez durante toda a noite, mas diz que pela manhã, ainda de madrugada se levantou. Diz que a primeira coisa que fez quando chegou o dia foi se colocar na posição de cumprir a vontade de Deus.

Uma coisa que temos que ter em mente é que Deus não nos coloca na prova para sermos envergonhados. Deus não vai ser ridicularizado pelo chifrudo que quer entrar em sua presença para complicar nossa vida, não. Deus quer nos aprovar, e nos dá condição para isso.

Se já estamos na prova, a primeira coisa que precisamos saber é que Deus já nos deu condição, verdadeiramente nos capacitou para sermos aprovados. E ser aprovado por Deus é alcançar sua extrema graça, é alcançar sua vontade, a qual a bíblia retrata como boa, agradável e perfeita.

Abraão após tomar consigo tudo o que necessitava foi para a prova sem questionar ao Senhor. Eu acredito que Abraão entendia duas coisas. A primeira era que se ele escolhesse ter sua alegria, ele poderia perdê-la amanhã ou talvez 5 minutos depois. Da mesma forma se escolhesse sua esposa, ou seu filho, ou seu amor pelas coisas que aqui temos. Sabia ainda que escolhendo a Deus, teria algo que nunca se perde, nunca se acaba, nunca dissipa, porque é eterno, sempre existiu e sempre existirá, e ainda de bônus tudo o que tinha ou muito mais. Lembrem-se que Adão tinha a Deus e todas as coisas no local do prazer. Logo depois de escolher a esposa, ou a maça, ou qualquer outra coisa que não era Deus, perdeu a Deus e também o extremo prazer em todas as coisas. A segunda coisa que Abraão provavelmente sabia ou entendia era que ele não seguia as bençãos, ou as promessas, ele seguia a Deus. Porque Deus nos garante que estas, certamente nos alcançarão.

O que você espera dessa vida? O que você tem que é a sua alegria? Onde tem depositado seu amor? Onde está sua felicidade? Já está em algum lugar ou ainda é uma esperança? Após ter refletido estas coisas, assim como Deus perguntou a Abraão, eu pergunto a você e a mim: Entrega tudo isto a Deus? Abre mão de todas estas coisas? A minha resposta é sim, e Deus sabe que é verdade.

Eu não quero que o pensamento desta palavra fique cravado lá no versículo 16, 17 e 18 que diz:

E disse: Por mim mesmo jurei, diz o SENHOR: Porquanto fizeste esta ação, e não me negaste o teu filho, o teu único filho, que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar; e a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos; E em tua descendência serão benditas todas as nações da terra; porquanto obedeceste à minha voz.

Foi a benção de Deus para Abraão, mas isso foi com ele. Não que o Senhor não possa fazer isso contigo ou muito mais, mas a certeza que devemos ter é que amamos a Deus de todo nosso coração, alma e entendimento, e esta é a nossa alegria, nossa força, provisão. Entender que queremos sim ser abençoados nesta terra, mas que o nosso maior tesouro, não é ganhado por herança, não é ganhado por esposa, filhos, amigos, riquezas, profissão, status, ministérios, nada disso. É ganhado pela graça, e este tesouro chama-se salvação. Este é o maior milagre que temos ou podemos ter, a maior certeza que devemos ter como aprovadas pela parte de Deus todos os dias de nossas vidas.

Porquanto tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei em retiro alto, porque conheceu o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; dela o retirarei, e o glorificarei. Fartá-lo-ei com longura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação (Sl 91:14-16).

Nisso sim, gostaria que depositasse sua fé e o seu pensamento. Certa vez em minha vida, tive tudo que queria nessa terra. Não digo que tinha o máximo que uma mente pode imaginar e almejar, digo que tinha tudo o que eu queria. Mas digo que abri mão de tudo isto, por um amor que certa feita conheci. E este amor chama-se Jesus. E realmente perdi tudo, não abri mão da boca pra fora, mas realmente larguei e como hoje meu coração transborda de alegria em saber que foi a melhor coisa que fiz nesta vida. Fui abençoado muitas vezes mais na maioria destas coisas, assim como Jó foi. Hoje digo, que por este Jesus, eu abro mão de tudo o que Ele mesmo me deu, mais uma vez, e quantas vezes forem necessário. Por que por mais difícil que seja ficar sem todas estas coisas, ou até mesmos estas pessoas, ou até mesmo das promessas que recebi, eu sei, meu coração, meu entendimento e minha alma também sabem que eu não posso ficar é sem Jesus. Deste amor, eu não abro mão e me apego a palavra de Deus que me garante que nada me separará deste amor, nada me separará do meu Deus:

Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor (Rm 8: 35-39).

E o amor de Deus é lindo! A presença de Deus é incomparável, os momentos na presença de seu Santo Espírito são indescritíveis. Que este mesmo amor seja em tua vida, agora e para todo o sempre, em nome de Jesus. Amém.

Anúncios

7 comentários sobre “Quando Deus nos prova

  1. Eu não creio que Deus prova a seus filhos.
    A palavra me garante que aqueles nascidos de novo tem o Espirito Santo habitando dentro dele, neste caso Deus prova ele mesmo? Deus é bom sempre bom e o diabo só veio para matar, roubar e destrui .. mas gloria a Deus que Jesus veio para que tenhamos vida e vida em abundância.
    Deus não sua as mesmas atimanhas do Diabo para nos ensinar nada.

    • Deus nos prova sim :) Mas nos prova para sermos aprovados, e com isso crescermos.
      Deus provou Jó, simplesmente pq o Diabo o tentou em relação a sua fidelidade.
      Assim como o fogo, refina o ouro, assim nós somos provados, pelo fogo, mas que nos traz refinamento, crescimento, e razões de glorificar o nome do Senhor.
      As artimanhas do diabo é de nos derrubar, a do Senhor é de nos levantar.
      O diabo quer que nos venhamos a esmorecer, enfraquecer, a prova de Deus nos faz fortes.

      Hoje você pode estar tomando leite espiritual, mas chegará o tempo em que comerá comida sólida. E isso não é ruim, é muito bom.

      Outra coisa, provação e sofrimento são coisas diferentes. Quanto mais provados fomos, e aprovados, menos sofremos, e mais fortes e firmes estamos. Passar pela prova junto ao Senhor, nos faz firmarmos nossas bases na pedra angular, que é Cristo Jesus, nossa Rocha Eterna!

      Tem muita coisa do senso comum que traz engano sobre Deus. Principalmente sobre o que é bom ou ruim. Meditemos e aprendemos na palavra de Deus o que Ele pensa, como Ele age, e o que é o BOM Dele!

      Em Cristo,

      Ricardo.

    • Deus não prova a si mesmo. E você não deixou de ter escolhas. O Espírito está aí, mas a sua alma também está. E o Leão está ao seu deredor o tempo inteiro. Para passarmos nas provas, precisamos dar espaço ao Espírito, e Ele vencerá. A prova não é para o Espírito, e sim para nossa alma.

      Em Cristo,

      Ricardo.

  2. Deus nos prova sim, e como bom instrutor nos prova porque nos ama. Como fez com Davi que ao receber a unção do profeta embora fosse justo enfrentou muitasss batalhas e lutas após derrubar o giante, até se fingir de maluco e louco ele fez para não morrer, no entanto o Senhor estava com ele estava moldando-o adestrando as suas mãos para as batalhas próximas.

  3. SOMOS PROVADOS MAIS QUE OURO QUE PERECE PARA APROVEITAMENTO COMO A FILHOS PARA UMA VEZ PROVADA NOSSA FÉ NOS TORNEMOS PARTICIPANTES DA NATUREZA DIVINA
    A Rakeliane ela não comprendeu o sentido exato da salvaçao biblica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s